Fade Together

Junho 14, 2012 § 1 Comentário

So far away, come on I’ll take you far away
Let’s get away, come on let’s make a get away

Once you have loved someone this much you doubt
It could fade despite how much you’d like it to
God, how you’d like it, you’d like to fade

Let’s fade together, let’s fade forever
Let’s fade together, let’s fade forever
Let’s fade together…

If we get away you know we might just stay away
So stay awake, oh, why the hell should I stay awake?
When you’re far away, oh god, you are so far away

(Quando tudo o que eu mais quero é sumir)

Por: Franz Ferdinand

Anúncios

Para Relembrar e Consagrar

Junho 7, 2012 § Deixe um comentário

Antagonismo Mútuo

Junho 7, 2012 § Deixe um comentário

Sentou-se na cadeira vazia à sua frente. Sabia que seria ocupada por uma das garotas de sempre que a acompanhava caso não o fizesse rápido e como se caísse ali por acidente, encenou uma exaustão que existia psicologicamente para que ficasse explicita. Ela sorria com os olhos brilhantes de sempre, eram quase monótonos, decididamente eram monótonos.

–Está tudo bem? – perguntou com a voz letárgica quase tão monótona quanto seus olhares.

–Estou exausto. Não aguento mais… simplesmente. – finalizou para ser interrogado. Deixando a cabeça apoiada nas mãos, olhava para baixo, tudo para que quando a encarasse mais uma vez, seus olhares se encontrassem de forma marcante. Queria enfeitiçá-la e poderia se soubesse como.

–O que houve? – interrogou. O brilho monótono no seu olhar passou a ser mais intenso.

–Eu simplesmente… – pausou dramaticamente para levantar a cabeça, encontrando o olhar direto da garota – odeio esse lugar, essas roupas… por que usam essas roupas?! Eu simplesmente… odeio esses garotos afundando no ridículo, físico demais, ricos correndo para os seus carros… todos os que estão desesperados demais por atenção para se olharem no espelho. Os que estão na sala ao lado e os que preenchem as listas de interesse… e você sabe por que preenchem? Bem, isso é o tipo de coisa que me faz querer sumir. Vamos fugir juntos… Isso sem contar as garotas, – riu, deixando claro que definitivamente, ela não se encontrava nessa categoria, embora suas amigas, sim, e naquele momento, ela se entrega, encantada –. Um dia você fala tanto sobre aquilo o que nunca será e de tanto falar acaba se tornando exatamente aquilo o que tanto critica. Eu tenho essa noção e por isso não vou me deixar acontecer. Eu nunca vou ser nada daquilo… eu definitivamente odeio… tudo! … por aqui.

Com um riso nem aberto nem só um sorriso, com um riso monótono, ela menciona quase como uma respiração, em palavras baixas e levianas…

–…eu adoro ficar longe daqui…se eu pudesse sair daqui agora… eu teria uma vida feliz se pudesse viajar para longe…

-Vamos sumir juntos? Vamos… sumir para sempre?

(Um Conto Por Música: Dark Of Matiée, Fade Together, This Boy; Franz Ferdinand, FRANZ FERDINAND)

Uma volta da Terra em torno do sol com Ulysses

Janeiro 1, 2012 § Deixe um comentário

No quarto silencioso, parado, vazio, me sentei na cama amontoada de objetos e roupas. Ulysses tocava repetidamente, grudou em mim as palavras: “While I sit and hear sentimental footsteps”. Minha cabeça girava e eu girava junto, num universo de pensamentos clichês: todo o passado e o futuro incentivado pela perspectiva de um ano novo, velho, próximo, distante, desconhecido e cheio de ambições, “Well I’ve found a new way I’ve found a new way”. Eu encontrei um novo caminho, encontrei uma nova forma de me distanciar de tudo aquilo o qual me aproximei ou o qual eu deveria ser próxima. Toda uma ambiguidade de relações pareceu me distanciar dos propósitos práticos, práticos com relação ao contato social. Não sou mais obrigada a aturar: “I don’t need your sympathy,”  toda essa falsa simpatia me angustia “What’s the matter there? Feeling kinda anxious? That heart that grew cold.”… É – pensei suspirando – cheguei aqui por cansaço. Eu realmente não me importo com tudo aquilo que aconteceu ontem, vivemos a época dos momentos e eu sinto ser a única sincera o bastante pra confessar isso, o passado é tão insignificante quanto o meu apreço pelo futuro “Yeah everyone, everybody knows it. Yeah everyone, everybody know it. Everybody knows I…” Todos sabem a importância que dou as coisas sem valor, todos sabem o quanto me importo, ou pelo menos não saibam suficientemente por não ler esse escrito que vai longe de meus princípios, tão longe que cá estou, enquanto a eles? Onde estão, onde estarão? Já o hoje se encontra distante, estou chapada, embriagada em meus próprios sentimentos e falta deles, questionando-me a normalidade de tais desapegos e feliz por tê-los alcançado.

Not Ulysses, baby.
No, lalalala oohoo
You’re not Ulysses, oohoo
Lalalala, oohoo..

…Vamos, meus amigos,Não é tão tarde para buscar um mundo novo.Desatracai, e sentados bem em ordem bateiNas esteiras sonantes; pois meu intento continua a deVelejar além do pôr-do-sol, e dos mergulhosDe todas as estrelas ocíduas, até que eu morra.Pode ser que os golfos nos devorem:Pode ser que toquemos as Ilhas Afortunadas,E ver o grande Aquiles, a quem nós conhecemos.

Ulysses, Alfred Tennyson

Por Constance, constantemente Ulysses

A importância de Ulysses

Dezembro 25, 2011 § Deixe um comentário

Tonight:
Franz Ferdinand is music of the night: to fling yourself around your room to as you psyche yourself for a night of hedonism, for the dance-floor, flirtation, for your desolate heart-stop, for losing it and loving losing it, for the chemical surge in your bloodstream. Its for that lonely hour gently rocking yourself waiting for dawn and it all to be even again.

Alex Kapranos

Quando o Kapranos tentou ser romântico

Julho 2, 2011 § 1 Comentário

Katherine Kiss Me (Katherine, beije-me) – Franz Ferdinand

Katherine, beije-me
Deslize os seus pequenos lábios
Vão me dividir
Me dividir onde
Seus olhos não vão me encontrar
Sim, eu te amo, e estou sendo sincero
Eu adoraria te conhecer

Às vezes eu digo as coisas estúpidas que eu penso
Quer dizer, eu
Às vezes eu penso nas coisas mais estúpidas
Mmmmmm
E você já se perguntou
Como o garoto se sente

Katherine, beije-me
Rapidamente acabe seu cigarro, e então beije-me
Pisque os seus olhos nos meus brevemente
A sua jaqueta de couro repousa
Nas piscinas pegajosas de sidra de amora
Você percebe e reage
A cada líder, inferior a mim
Olhos
Como bolhas na máquina de lavar roupas

Mmmmm
Eu me pergunto
Como o garoto se sente

Katherine, beije-me
Pelos corredores
Passando pelos caras bobos
Sugando a luz de sódio
Sim, eu te amo, quero dizer eu
Preciso amar

E embora fico entediado com seus olhos abertos
Com os dutos transbordando sobre mim
Hoje à noite
Eu não me importo
Porque nunca me pergunto
Como a garota se sente

Eu eu acho que é por isso que eu derreto tanto por ele…

Seja Fashion Com Franz Ferdinand

Julho 2, 2011 § Deixe um comentário

O Nick nunca foi o meu favorito

Where Am I?

You are currently browsing entries tagged with Franz Ferdinand at Old Consciousness.