Eu quero a paz na minha vulnerabilidade

Outubro 26, 2012 § Deixe um comentário

Escrevo agora sem intenções, sem inspirações, sem motivações.
Escrevo por que preciso escrever, ah, já é tudo tão simples, tão inexplicável, tão fisiológico.
Eu não quero o retorno que eu posso ver.
Eu não quero nada mais que a simples satisfação pessoal
A mesma satisfação em comer quando se está com fome
Uma necessidade simples e extrema,

Escrevo

Me deixe escrever, me deixe só isso fazer
Que eu tenho mais muitas outras necessidades calejadas
E a minha paciência já está dolorida
Me deixa, mundo, me deixa!
Que eu já não quero dinheiro
Nem sorrisos
Nem nada
Eu quero a paz na minha vulnerabilidade
Eu quero a mim mesma num monte de gente

Anúncios

Tagged: ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Eu quero a paz na minha vulnerabilidade at Old Consciousness.

meta

%d bloggers like this: