“O prazer de um ódio recíproco desenvolvendo seu papel sexual”

Setembro 16, 2012 § 1 Comentário

-Você sabe alguma coisa sobre intensidade?

-Do que é que você está falando?

-Você sabe o que é sentir alguma coisa de verdade, intensamente?

Entreabriu os lábios para responder, um sorriso largo se desenhou. “Nada do que remeta ao sexual, Laura!”, pensei, mas não o disse. Hipnotizado. Era o que eu ficava na sua presença, hipnotizado de uma forma asquerosa. Com ela, me esquecia do cansaço emocional que ela mesma sempre me proporcionava. A sua repetitiva atuação parecia renovar-se. Ganhava todas as cores que perdia quando não estava por perto, por que distante, eu realmente gostava dela, e gostando me dava liberdade para ser honesto sobre todos os seus aspectos. Próximo, a odiava e é o ódio que intensifica todas as sensações. O único motivo que me leva a pensar na verdadeira razão de tanto admirá-la é por que ela da única forma capaz de me fazer odiá-la, tira-me do tédio psicológico. A intensidade na minha resposta caso ela venha a me falar de um orgasmo e depois retorne com um “e você?” seria muito claramente “o ódio que sinto por você.” Depois de tanto tempo você se depara com uma realidade palpável da qual já tanto falaram. As pessoas tanto ficam próximas de quem amam que acabam por resultar num relacionamento seco e desgastado. O ódio aproxima duas pessoas mais do que qualquer outra coisa.

Fiquei excitado com a sua voz quando respondeu “intensamente?”. Com o canivete de bolso, fiz-lhe um corto do colo, o sangue lhe escorreu por entre os seios e ela suspirou de dor. Aqueles que transam com amor de suas vidas e são simplesmente incapazes de fazer tal coisa jamais saberiam qual é o prazer de um ódio recíproco desenvolvendo seu papel sexual.

Laura me pareceu menos esgarçada dessa vez. Estive por um momento pensando na Alice enquanto transávamos, olhei para o seu rosto depressa para obter um choque reacional, eu não soube que podia me tornar tão brutal, por um momento ela parou de gemer alto e debochadamente como sempre fazia, passou a gemer baixo e contido, começava a machucá-la e ela estava plenamente satisfeita com isso.

Trecho de Atmosfera

Quem sabe um dia eu volto a ter extrema vazies e desgaste emocional para escrever este livro. E é o meu favorito.

Anúncios

Tagged: , , ,

§ One Response to “O prazer de um ódio recíproco desenvolvendo seu papel sexual”

  • “O ódio aproxima duas pessoas mais do que qualquer outra coisa”, eu nunca tinha parado para pensar, mas é bem por aí mesmo. Quantos casais que conhecemos e estão ainda juntos, mas sem terem nenhum sentimento positivo um pelo outro?
    Essa história sua rende, viu. Abraços.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading “O prazer de um ódio recíproco desenvolvendo seu papel sexual” at Old Consciousness.

meta

%d bloggers like this: