Diferente Igual a Todos os Outros

Julho 27, 2012 § 1 Comentário

2

Em casa, olho para a janela, começa a escurecer. Voltei-me para ela numa tentativa excedida de fazê-la reparar nos meus olhos levemente umedecidos.

“Você andou chorando?”

“Não, só estou com sono.”

A convivência nos obriga a ser óbvio, nada tira mais o encanto da subjetividade.

“Então vá pra cama.”

Em outro caso, algum mais distanciado, ela poderia ter me feito perder o sono, mas ela ainda tinha um maço de cigarros pra terminar e aquilo parecia mais interessante.

“Não vou pra cama, vou pra casa.” – disse.

Silêncio. Essa era sua forma de demonstrar insegurança a respeito das coisas que ela não sabia como lidar.  Permaneci sentado apesar da minha última fala.

“O que você está esperando? Sexo?” – ela perguntou depois de alguns minutos.

Levantei e peguei as chaves. Ela me beijou sensualmente.

Com o tempo você tem de aprender novos artifícios de se conseguir sexo quando não existe mais ninguém disponível.

Anúncios

Tagged:

§ One Response to Diferente Igual a Todos os Outros

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading Diferente Igual a Todos os Outros at Old Consciousness.

meta

%d bloggers like this: