Abril 14, 2012 § Deixe um comentário

circulador

Sabe quando o dia está pesado, você também, e aí você pensa: acho que tudo o que eu preciso é ver coisas bonitas? Bom, foi assim que me peguei na exposição do Robert Doisneau, no Centro Cultural Justiça Federal. Eu, que só conhecia uma foto dele, me peguei emocionada com tantos registros…

Bom, comece pelo doc, que dura cerca de 1 hora –  tem que ver para entrar em cada foto e automaticamente sentir tudo que ele fala. Segundo Doisneau, não é o fotógrafo que constrói a foto e sim, a vida, o dia a dia, o acaso. Ele relata momentos onde passou um dia em frente a uma praça ou escola, esperando as cenas acontecerem para registrá-las. O discurso é sedutoramente modesto e real, fruto de um olhar atraído pelas sensibilidades e alterações de cenários suburbanos, democráticos, inocentes e verdadeiros.

O mais interessante é que…

View original post mais 100 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

What’s this?

You are currently reading at Old Consciousness.

meta

%d bloggers like this: