Meus pequenos

Setembro 30, 2011 § Deixe um comentário

Meus pequenos queridos… Vyvyan e Cyril Wilde.

Gênios banidos da sociedade

Setembro 30, 2011 § Deixe um comentário

Detalhes Interessantes – Adolf Hitler

Setembro 30, 2011 § Deixe um comentário

Mesmo que todos já conheçam Adolf Hitler por seus feitos políticos, poucos talvez o conheçam por seus feitos artísticos.
A verdade é que Adolf Hitler sempre sonhou com a carreira artística, pintou quadros e escreveu poemas, mas todos foram rejeitos e desiludido, Hitler seguiu para outro segmento.

Um quadro pintado por Hitler

E aos 15 anos, Hitler passava a maior parte de seu tempo dedicando-se à pintura e poesia. Com a mesma idade escrevera o poema a seguir:
(Os símbolos (-) representam palavras indecifráveis)

As pessoas ali se sentam numa casa ventilada 
Enchendo-se de cerveja e vinho 
Comendo e bebendo em êxtase 
(-) então de quatro. 
Ali escalam os altos picos das montanhas 
(-) com as faces cheias de orgulho 
E caem como acrobatas em cambalhotas
E não podem se equilibrar 

Então, tristes, voltam para casa 
E em calma esquecem o tempo 
Então ele vê (-), sua esposa, pobre homem, 
Que lhe cura as feridas com uma boa sova. 

O poema estava ilustrado com o desenho de uma mulher robusta surrando o marido.
E a fase poeta de Hitler não acabou na adolescência. Durante a guerra de trincheiras, em 1915, o ditador escreveu:

Frequentemente sigo em noites frias 
Ao Carvalho de Odim no calmo bosque 
Tecendo com negra magia uma união 
A Lua traça runas com seu feitiço 
E sua mágica fórmula humilha 
Os que se enchem de orgulho à luz do dia! 
Forjam suas espadas em fulgurante aço – mas, em vez de lutar, 
Congelam como estalagmites 
Assim se distinguem as almas – as falsas das verdadeiras 
Penetro um ninho de palavras 
E distribuo dádivas aos bons e aos justos 
E minhas mágicas palavras lhe trazem bênçãos e riquezas!

Quem é Constance

Setembro 28, 2011 § Deixe um comentário

Banda
De ontem: Franz Ferdinand
De hoje: Gene Vicent
De amanhã: New Order
De sempre: Elvis Presley

Livro
De ontem: Pequeno Príncipe
De hoje: O vermelho e o Negro
De amanhã: Madame Bovary
De sempre: Livros didáticos de História

Fime
De ontem: À Espera de um Milagre
De hoje: Cisne Negro
De amanhã: De Volta Para o Futuro
De sempre: Harry Potter

Comida
De ontem: Torta de Milho
De hoje: Creme de Milho
De amanha: Cuscus
De sempre: Milho

Lugar
De ontem: Liberdade
De hoje: Casa
De amanhã: Minha Casa
De sempre: Aqui

Eu
De ontem: Bipolar
De hoje: Intolerante
De amanhã: Historiadora
De sempre: Constance

Vale a pena ouvir

Setembro 25, 2011 § Deixe um comentário

E re-ouvir, e ouvir de novo e de novo…

Minha Querida

Setembro 25, 2011 § Deixe um comentário

O beijo dela tinha gosto de chocolate amargo. Soltei-a dos meus braços com um sorriso débil, e por um momento, pensei que pudesse ser a pessoa mais satisfeita do mundo não fosse os seus olhos chorosos, indicarem o quanto sou egoísta.

Tudo bem, eu te espero… eu espero você gostar de mim de volta. Eu espero os seus sorrisos sinceros, eu espero a sua felicidade chegar, eu espero todos os seus sonhos se concretizarem, eu espero você se sentir realizada.

Enquanto isso… você fica trancada bem aqui dentro de mim para que eu possa te ver chegar lá.

À Um Sujeito Que ReConheci

Setembro 25, 2011 § Deixe um comentário

Não, eu não tinha nada de melhor para fazer, e lá fora o clima estava horrível com um sol que queimava meus olhos e minha tatuagem tão recente e tão bela. Tomada desse pensamento, entrei. Não fosse por meus cabelos cacheados e louros sebosos, julgava que jamais pudesse me reconhecer. Toquei no assunto já que não o vi notar a minha presença. Comentou sobre a tatuagem, mas era demasiada recente para que fizesse parte da lembrança que ele falsamente possuía. Respondi meio sem graça, mas após a identificação, ele de fato me reconheceu (o que, tenho de assumir e só o assumo porque mesmo que o tenha passado o endereço do site pelo qual facilmente possa encontrar este escrito, eu mesma não acredito que o encontrará) que fiquei muitíssimo alegre que me tenha lembrado e principalmente a sua sincera e tão bela maneira atenciosa. Ele falou-me de assuntos interessantes e também bobagens! – Que agradável que é esse tipo de gente! – Falou-me pouco e disse-me muito, prometeu-me ler alguns dos meus escritos, o que, como eu já disse, acredito que não o faça. Como eu, que lhe prometi ver suas obras e ainda não o fiz, mas isso apenas porque guardei o papel marcado, não sei onde, aqui ou lá, ah, mas está longe para pegar!

Where Am I?

You are currently viewing the archives for Setembro, 2011 at Old Consciousness.